Análises Jogos Reviews e análises

Análise Completa | Bomber Crew

A humanidade convive com guerras desde sua existência. Desde os registros mais antigos, civilizações inteiras sucumbiram ao seu poder de destruição. Ela molda terrenos, fronteiras, e é uma impulsionadora tecnológica que dita a maneira com que a próxima guerra será travada. Dentre todas, talvez a mais marcante tenha sido justamente a mais mortal. A Segunda Guerra Mundial proporcionou uma divisão de águas em termos tecnológicos e armamentísticos, e também sociais.

Os eventos passados por esta guerra são tão exaustivamente usados pela indústria de jogos que, dizer que mais um ambientado na Europa Setentrional/Ocidental durante o período da Segunda Guerra foi lançado, pode causar repulsa em ouvidos mais delicados. Os retratos de batalhas épicas, invasões, cercos e tomadas são constantes e, em sua maioria, colocam o jogador em uma perspectiva de primeira pessoa, onde o mesmo controla suas próprias ações e, consequentemente, sofre com elas, mas sabe que terá seu personagem jogável de volta caso venha a falhar em alguma missão, relevando o lado heroico das guerras.

Contudo, ao apelar para o lado mais obscuro da guerra, principalmente a morte, um jogo pode transmitir novas emoções e sentimentos mais complexos que até então não seriam possíveis em batalhas intensas com tiros e explosões estonteantes. Para quem já experienciou, Valiant Hearts: The Great War é um exemplo disso, onde um jogo de plataforma faz você atravessar diversos ambientes tomados por destruição e sofrimentos causados pela Primeira Guerra, e ainda conta uma história emocionante que prende o jogador até o fim.

A Runner Duck Games nos traz um jogo estratégico ambientado na Segunda Guerra Mundial, na região da Europa onde as principais batalhas aconteceram. Mas acalme-se. Não sinta repulsa. Você não tem motivos para se afastar desse jogo por causa de sua ambientação. Muito pelo contrário. Você deve se aproximar dele. Muito.

Sentir os ventos do sul da Inglaterra batendo em seu rosto enquanto coloca sua recém-chegada máscara de oxigênio e espera na pista de decolagem as ordens de seu comandante para dar partida em seu avião para mais uma missão de reconhecimento. Apreciar sua nova arma que se recarrega automaticamente, poupando viagens exaustivas e perigosas ao estoque de munições da aeronave.

Bomber Crew lhe entrega o comando de um avião bombardeiro inglês da Segunda Guerra, e junto com ele, todos seus sete tripulantes, operando em uma base militar próxima a Londres. Com sua equipe, você deverá cumprir missões de reconhecimento, ataque e entrega de suprimentos, enquanto mantém seu avião inteiro perante as defesas inimigas.

Você começa o jogo em voo, com uma equipe limitada, divididos em um piloto, um operador de rádio, um navegador e dois atiradores, e o tutorial é apresentado. O jogo consiste em selecionar um dos sete membros da equipe disponíveis e posicioná-lo dentro da aeronave conforme a necessidade da função a ser desempenhada, seja realocar um atirador para uma arma melhor posicionada, ou um dos outros membros para apagar um incêndio em um dos motores. Ao mesmo tempo, você deve marcar o caminho que o piloto deve seguir e os aviões inimigos para seus atiradores abaterem. Tudo isso enquanto posiciona seu lançador de bombas e espera passar sobre seu alvo para despejar uma sequência devastadora de explosivos para cumprir seu objetivo.

Ao completar o tutorial, o jogador é direcionado à base militar, onde lá poderá recrutar novos membros para a equipe, personalizar seu avião e seu time, além de escolher as próximas missões que serão realizadas.

Essas missões variam com vários objetivos, dificuldades e tempo de duração. Os objetivos são bem variados, como fotografar fábricas de armas para reconhecimento, abater aviões inimigos (e caçar e ser caçado por alguns “ases da aviação”, que são espécies de chefões do jogo) e afundar submarinos. Elas vão escalando naturalmente em dificuldade conforme seu progresso no jogo, mas que podem se tornar repetitivas após certo tempo e extremamente difíceis caso o jogador perca um membro da equipe.

Completar uma missão dá recompensas em dinheiro, que permite a personalização da equipe e aeronave, pontos de reconhecimento que desbloqueiam novos equipamentos e pinturas quando acumulados, e por último, pontos de experiência para sua equipe, aumentando o nível de cada membro, e desbloqueando habilidades que auxiliam nas missões, além de poder escolher subclasses para eles.

Bomber Crew permite uma customização gigantesca tanto de seu avião quanto de sua equipe. Esteticamente, há diversas opções de pinturas para a lataria, algumas se distanciando da realidade para um ar mais cômico, trazendo arco-íris e até bolas de bilhar, combinando com os gráficos quase cartunescos do jogo, e também a adição de novos equipamentos de combate ou de segurança à aeronave é fundamental para o bom desempenho de sua equipe e eventual sucesso em suas missões.

Os membros da aeronave também podem ser modificados com roupas e equipamentos que, além de cores, trazem benefícios diferentes, como melhoria na locomoção dentro do avião, chance sobrevivência em caso de acidentes, resistência ao calor e tempo extra de oxigênio.

Durante as missões, essa personalização, tanto do avião quanto da equipe, serão fundamentais para o sucesso. Em caso de morte de alguém em combate, você perderá seu progresso do personagem, e terá que recrutar um completamente novo, e, em caso de seu avião ser abatido, todos os membros passam por um teste de sobrevivência (uma roleta em que quanto maior o índice de sobrevivência de alguém, maior as chances de ser encontrado com vida) para identificar os sobreviventes.

Quando eu estava com umas três horas dentro do jogo, minha equipe já estava no nível 5, e meu avião foi abatido em combate, e apenas um dos sete membros foi encontrado com vida. Foi um momento horrível. Perder a equipe que estava tão “avançada” foi devastador, pois eles haviam me acompanhado por diversas missões e vitórias. Voltei ao menu inicial do jogo, e lá, tive uma surpresa. Um memorial havia sido erguido na tela inicial, contendo estátuas e nomes de todos os membros derrotados da minha equipe. E é nessa hora que o peso emocional do jogo pode bater de frente em você.

Por mais leve que o jogo seja, engraçado por certos momentos, ele pode te levar em uma viagem de peso no barco (avião) dos sentimentos. Talvez você não esteja tão envolvido com o jogo, ou não crie laços tão facilmente com personagens virtuais, mas perder um esquadrão inteiro após muito tempo vencendo batalhas juntos, sabendo que você não pôde fazer nada para salvá-los, é estarrecedor, ainda mais quando o jogo joga na sua cara (no memorial) que eles estão mortos e você percebe que terá que se contentar em contratar novos membros para suas missões.

Mas isso nos faz voltar mais fortes e começar tudo de novo, com uma nova frota, tentar passar daquela missão que você falhou. Destruir os inimigos que te abateram a última vez.

E isso nos traz de volta à guerra. O pensamento de que muitas famílias viveram realmente o que acabamos de passar em um jogo, e como ele pode nos transmitir uma sensação tão intensa quando contextualizado em um momento tão negro da história da humanidade.

A Runner Duck Games fez um trabalho excepcional com Bomber Crew. Apresenta um jogo que retrata a guerra de uma maneira leve e descontraída em sua jogabilidade rápida e atenciosa, que requer concentração e habilidade em multitarefa, e se torna viciante em seu progresso, para sempre conseguir ir mais e mais longe em suas missões cada vez mais desafiadoras, mas que pode se tornar um pesadelo emocional toda vez que ser iniciado, ao contemplar seus membros de equipe caídos em batalha.

Disponível na Nuuvem https://www.nuuvem.com/item/bomber-crew

  • Compartilhe: